Vídeos

Marketing de permissão: a sua comunicação respeita o seu público

Karine Borges
Escrito por Karine Borges em 18 de agosto de 2020

O Marketing de Permissão foi criado por um dos maiores nomes do marketing: Seth Godin. No ano de 1999, quando o seu livro fio lançado “Marketing de Permissão: transformando estranhos em amigos, e amigos em clientes”, esse conceito ganhou força em uma época em que o público era muito bombardeado por propagandas.

E claramente continua relevante nos dias de hoje, com a grande maioria das empresas presentes na internet, este conceito se tornou extremamente importante para diferenciar as marcas que realmente se destacarão nas preferências dos consumidores.

Como funciona o marketing de permissão

Antes da internet, quem detinha o poder nas mãos eram as empresas. Hoje, o cenário é outro, e o consumidor tem muito mais informações.

A concorrência aumentou e conseguir a atenção dos possíveis clientes se transformou em uma tarefa difícil.

Por isso, quando você consegue a permissão para se relacionar com uma pessoa, o que você está fazendo com a confiança que ela depositou em você?

Sua empresa está agindo mecanicamente ou está de fato criando um relacionamento construtivo e saudável com seu cliente?

O marketing de permissão vem justamente trazer esses fundamentos: se relacionar de forma séria e confiável com o consumidor. Em um relacionamento saudável, as duas partes conversam e entram em acordos. Não há invasão do espaço do outro ou coações para forçá-lo a tomar atitudes indesejáveis.

Dentro do Inbound, entregamos conteúdos ricos para coletar dados e poder nos relacionar de forma efetiva com usuários interessados. Essa estratégia não deve ser pensada de maneira automática, mas sim de uma maneira humana.

Você está permitindo que seus leads avancem na jornada no tempo deles ou os está obrigando a consumir conteúdo sem autorização?

Permissão é conseguir muito além de atenção. É todo ato do consumidor que demonstre que ele está aberto a ter uma relação com a sua marca. Seja seguindo suas redes sociais, se inscrevendo em uma newsletter, baixando um conteúdo, abrindo emails…

Esses atos demonstram uma contínua permissão de se relacionar. 

Além disso, permissão também é deixar ir quem quer ir. É importante “libertar” aqueles que não tem mais interesse sobre o que você tem para oferecer e não incomodá-los.

É um ato de respeito que com certeza será valorizado caso essa pessoa precise entrar em contato com você de novo. 

Você já está por dentro da metodologia de Inbound Marketing? Para explicar direitinho para você como funciona, eu fiz esse vídeo aqui – O que é InBound Marketing – Entenda o pensamento estratégico por de trás desta metodologia. Por que não dá uma passada por lá? 

Se quer construir uma base sólida de consumidores que gostam e confiam na sua marca, você precisa estar atento a isso. Se não, sua empresa simplesmente vai gerar leads que, em algum momento, vão descadastrar e nunca mais converter em materiais produzidos pela sua empresa.

Olá,

o que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assista também

Automação de Marketing - 8 formas simples de começar a utilizar

Materiais ricos: Quais tipos de conteúdos podem contribuir para geração e qualificação de leads

Landing page de alta conversão - 5 problemas que você precisa corrigir

Como Fazer Landing Page - 9 Passos da Anatomia de Sucesso

CTA - 4 elementos cruciais para gerar mais conversões.

Blog e Inbound Marketing - Como extrair os melhores resultados do seu blog