Vídeos

Funil de Vendas x Funil de Marketing - Qual a relação e como estão evoluindo com a jornada de compra

Karine Borges
Escrito por Karine Borges em 3 de setembro de 2020

Você com certeza já ouviu alguém dizer tanto Funil de vendas quanto Funil de Marketing. Mas qual é o “certo” ou qual a diferença entre esses dois? Vamos resolver isso agora?

Para tirar essa dúvida, resolvi falar sobre a essência do funil, para quê ele foi criado e como ele pode te ajudar em suas estratégias.

O “primeiro funil” foi criado por Elias Lewis em 1898. Denominado com AIDA, ele mapeava o processo de vendas na área de seguros. Esse processo de vendas era constituído em quatro etapas: atenção, interesse, desejo e ação.

Naquela época, todas as etapas da jornada de compra eram administradas pela equipe comercial da empresa, onde era o próprio vendedor que atraía o usuário, o prospectava e ajudava a evoluir até uma compra.

Com o advento da internet, as pessoas começaram a utilizar a rede mundial para entender mais sobre os produtos que queriam comprar, pesquisar, tomar uma decisão e só aí entrar em contato com a empresa.

Olhando pela ótica do Marketing, ele precisa estar presente nos canais onde o consumidor está. Pela lógica da empresa, ela precisa criar conteúdos adequados para entregar nesses canais.

E o funil de vendas foi adaptado para entregar melhores conteúdos, já que hoje boa parte da jornada de compra se passa dentro da internet – quando não toda. 

E agora, quem cuida dessas etapas e do processo de conexão dos canais de comunicação? O Marketing.

Com essa evolução, o funil de vendas dividiu a jornada de compra em topo, meio e fundo de funil.

A empresa cria conteúdos de acordo com essas etapas para abordar o usuário e fazer com que ele evolua na jornada de compra.

No momento que esse usuário está preparado para uma abordagem de vendas, ele é passado para a equipe comercial.

Na verdade, eu gosto de pensar que é um funil só. Parte dele administrada por marketing, parte dele administrado por vendas. As etapas administradas por cada equipe vão variar de negócio para negócio, tipo de produto e processo de vendas.

Como eu disse para você no vídeo, a jornada de compra não é linear. Uma pessoa pode entrar em contato com a empresa quando já está decidido a comprar ou lá no início da jornada. 

Sua responsabilidade como empresa é estar preparado em qualquer uma dessas etapas para ajudar seus usuários na jornada de compra, permitindo que ele evolua.

Pronto para se aprofundar um pouco mais no funil? Aqui eu falo sobre como aplicá-lo no Inbound. Vem ver!

Olá,

o que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assista também

Automação de Marketing - 8 formas simples de começar a utilizar

Materiais ricos: Quais tipos de conteúdos podem contribuir para geração e qualificação de leads

Landing page de alta conversão - 5 problemas que você precisa corrigir

Como Fazer Landing Page - 9 Passos da Anatomia de Sucesso

CTA - 4 elementos cruciais para gerar mais conversões.

Blog e Inbound Marketing - Como extrair os melhores resultados do seu blog